1º Congresso Português do Voluntariado

O I Congresso Português do Voluntariado, subordinado ao tema «Voluntariado, Força de Mudança», decorreu em Lisboa em 4 e 5 de Dezembro de 2010. Nele, participaram 220 congressistas e 17 conferencistas, que trabalharam 8 painéis temáticos e 2 conferências – de abertura e de encerramento –.

Do trabalho nos painéis saiu um conjunto de recomendações que a seguir se apresentam, sem comentários adicionais por parte da organização, mas que serão tidas em consideração pela Direcção da CPV e pela Comissão VI – AEV2011 e Congresso, Comunicação e Divulgação, em primeira instância, e pelas restantes, consoante a sua especificidade.

Recomendações dos painéis
1º Painel – O ciclo de vida do Voluntário
1) Valorizar e reconhecer todas as formas de voluntariado pelo seu contributo para o desenvolvimento local nas vertentes social, cultural e desportiva, entre outras.
2º Painel – Recrutamento e fidelização dos Voluntários – o compromisso
1) O voluntariado não é sinónimo de amadorismo.
2) A competência do voluntariado deve ser apoiada e estimada.
3) Os processos de recrutamento e enquadramento do voluntário devem considerar as condições necessárias ao seu compromisso e fidelização à causa.
3º Painel – Formação e qualificação dos Voluntários
1) Centralizar a oferta formativa num canal que pode ser o próprio site da confederação.
2) Sensibilização e formação às organizações, dotando-as de competências necessárias para receber o contributo do voluntariado.
3) Passar a utilizar o termo qualificado em vez de profissional quando nos queremos referir a voluntariado útil e adequado às necessidades.
4) Enquadrar o voluntariado infantil e juvenil.
4º Painel – Ética e responsabilidade social dos Voluntários
1) Existe uma grande necessidade de formação em ética no voluntariado, quer para as organizações, quer para os próprios voluntários.
2) O papel do voluntário, enquanto expressão de cidadania, é o que contempla mais características de responsabilidade social.
3) Devemos potenciar, cada vez mais uma cultura de responsabilidade individual focada no bem comum.
5º Painel – Enquadramento jurídico do Voluntariado e do Voluntário
1) Avaliar o actual enquadramento jurídico de forma a considerar eventuais lacunas.
2) Emanar uma proposta concreta de alterações às lacunas da lei.
6º Painel – Integração dos diferentes e iguais
1) Capacitar as organizações para melhor acolherem as diferenças.
2) O voluntariado e a expressão associativa é um dos melhores veículos de acolhimento.
7º Painel – O marketing do Voluntariado
1) Aproveitar a força e o poder da comunicação como oportunidade de desenvolvimento do voluntariado.
2) Estabelecer parcerias com entidades capacitadas para utilizar o marketing como instrumento ao serviço do bem comum.
8º Painel – Mecenato e Reconhecimento social
1) O voluntariado empresarial pode ser um contributo contra a exclusão social e de melhoria das competências sociais.
2) Ser voluntário promove a melhoria das infra-estruturas sociais, capacitação para o exercício de cidadania e cultivo do sentimento de pertença.
3) É necessário e urgente promover mais formas de reconhecimento social dos voluntários.

Anúncios